Délio Pinheiro – Contando ninguém acredita

Posted by: camila | Posted on: maio 10th, 2017 | 0 Comments

Contando ninguém acredita

délioTodo corredor tem boas histórias para contar. E eu sou um desses. E se, por um lado, ainda não tenho recordações de grandes maratonas disputadas, ou corridas ao redor do mundo, posso considerar-me um sortudo por experimentar boas experiências nas corridas de que participo na cidade onde moro.
Uma delas aconteceu na tradicional corrida de Santos Reis, onde um morador do bairro, de maneira sincera, tentava avisar todos que vinham nos pelotões intermediários que não adiantava mais correr: “Meu menino me ligou da praça da igreja e o moço do Cruzeiro já ganhou. Pode parar. Não adianta mais não. Não cansa à toa não”. Sua convicção era tocante, mas ele não entendeu o que nos motiva quando saímos correndo por aí.


Na minha cidade desfruto de certa notoriedade, por causa de meu trabalho como jornalista de TV. E é nessas condições que surgem as melhores situações. Como a vez em que, em plena disputa de uma meia maratona, tirei uma foto com uma pessoa que me reconheceu e pediu para registrar o momento: “Só se você correr comigo até a esquina, porque não posso parar completamente”. Bastou eu diminuir um pouco só o passe para conseguirmos fazer essa proeza.

Noutra ocasião eu passava por um bairro que sofria com o abandono das administrações. Quando a dona me viu, disparou: “Moço do MGTV, aproveita que você está aqui e filma esse lixão aqui na esquina de casa. Está uma vergonha”. Precisei explicar para ela, um tanto ofegante, que estava no meio de uma prova e prometi encaminhar a sugestão para a produção da TV, e que… Bom nesse caso não teve jeito: A senhora se parecia demais com minha vó, que não costumo ver tanto quando deveria. Então acabei parando um pouquinho e ainda comentei: “É, a situação aqui está feia mesmo”.

Foi quando ela convidou-me para um chazinho com biscoito. Aí achei que estava indo longe demais e acabei seguindo meu caminho, não sem antes tirar uma foto da esquina transformada em “Bota fora”.
Enquanto me afastava, ainda tive tempo de ouvir a dona comentar: “Educado desse jeito e ainda por cima a cara dos meus netos”. Terminei a corrida e depois voltei lá, conforme prometido, para fazer a reportagem. E tive tempo para comer os biscoitinhos, que em nada se pareciam com os da minha vó Laurinda, mas nem tudo na vida é perfeito. Exceto, talvez, apenas a sensação de estar numa praia e sair para correr em plena terça-feira quando estamos de férias. Mas isso é assunto para outro dia.

Délio Pinheiro EndorfinaDélio Pinheiro

Jornalista, repórter e apresentador da INTERTV Grande Minas/Rede Globo, endorfinado de carteirinha

 

 

Talvez se interesse por outros textos de Délio:

•    Ensinamentos de pai para filho
•    Muito além da vontade de comer

Leave a Comment