Délio Pinheiro: Muito além da vontade de comer

Posted by: camila | Posted on: fevereiro 9th, 2017 | 0 Comments

Muito além da vontade de comer

muit-alem-da-vontade-de-comerEntre as coisas de que mais gosto na vida estão as viagens, a família e as corridas, claro. E no quesito exercícios físicos, sinto que tenho conseguido inspirar meus filhos, e até mesmo minha esposa, acerca das vantagens de sair correndo por aí pelo menos três vezes por semana. Camila já corre cinco quilômetros e acumula duas medalhas em provas desta distância e meus filhos estão devidamente “contaminados” pelo vírus do bem-estar e dos exercícios físicos. Mas tem uma coisa que é um drama para mim, e que certamente é para outros pais: impor uma boa alimentação para os pequenos.

Crianças são seres programados para gostar de açúcar e de alimentos calóricos em geral. É muito difícil demovê-los da ideia de tomar um guaraná, por exemplo. Mesmo que em minha casa refrigerantes estejam praticamente banidos, tem sempre os momentos de “liberou geral”, que geralmente ocorrem na casa dos avós, que são seres programados para sabotar os pais.

A cena a seguir aconteceu nas férias, quando estávamos na casa dos meus pais:

-Pai, só quero arroz, feijão, macarrão e uma carninha – Com autoridade, Gabriel, de cinco anos, escolheu o menu.
-E não vai comer nenhuma verdura? Você conhece as regras!
-Está bem, então coloca um pouco de cenoura raladinha – Ele parou um pouquinho, com a colher a postos, e perguntou:
– Pai, estamos fazendo aquele jogo?
– Sim, estamos. Filho, você não está comendo a cenoura.
– Está dura. Não dá pra comer. Quero Guarapan!
– Então vamos lá: Para acessar a fase Guarapan, você precisa comer cinco colheradas grandes do almoço da vovó.
“Missão dada, missão cumprida”, ele deve ter pensado, antes de enfrentar o desafio:
– Cronch, cronch, cronch… Pronto, consegui!
– Falta apenas pegar o prisma laranja.
– Pai, você não falou nada de prisma laranja.
– É uma fase surpresa. Como poderia saber? Está vendo os cristais laranjas? É só ingeri-los, mais ou menos como o Popeye fazia. No caso dele era espinafre, no seu é a cenoura radioativa!
– Pai, quem é “Popai”?

Essa parte do diálogo me fez lembrar os quase trinta e cinco anos que nos separam.
– Depois te mostro no YouTube. Vamos lá: Lets go!
– Cronch, cronch, cronch…Consegui!
– Parabéns! Super Vovó, agora pode dar um copo de Guarapan para nosso pequeno herói!
– Papai, será que o Ryder gosta de prisma laranja?
– Ah, com certeza filho.

Nota: Descobrir quem é Ryder. Em conversa com meu filho, após o almoço dominical, fiquei sabendo que é do desenho “Patrulha Canina”.

Délio Pinheiro EndorfinaDélio Pinheiro

Jornalista, repórter e apresentador da INTERTV Grande Minas/Rede Globo, endorfinado de carteirinha.

 

 

Talvez se interesse por outros textos de Délio:

Leave a Comment